Onde está Wally?

Amigos, tá brabo de ver jogo do Botafogo com Wallyson em campo.

É impressionante como ele é bipolar ou enganador mesmo.

O cara chegou destruindo, metendo gols na Libertadores e depois desapareceu.

Hoje em dia, Wallyson só entra em campo para atrapalhar. A fase – ou nem isso – é tão ruim que ele não é nem capaz de acertar um simples escanteio.

O cara é caracterizado como driblador, mas não vai pra dentro de um zagueiro. Parece que tem medo. Só toca para o lado – quando toca na bola, né?!

Por favor, Mancini, nunca mais repita o que você fez com os alvinegros hoje. Já foi tenso começar com Wallyson, aguentar até o final do jogo dói no coração.

No mais, equipe evoluiu e tende a melhorar. Mas nada muito animador, infelizmente.

E se…

… Neymar estivesse jogando?

Pertinente esta pergunta, não?!

Ninguém sabe o que aconteceria se Neymar estivesse jogando naquele dia 8 de julho, mas ao menos o único que não perdeu nada naquele dia foi o próprio.

O fato de não entrar em campo na derrota para a Alemanha só fez do garoto um cara mais forte.

Não sei se é o único, mas, de longe, é um dos que saíram mais fortalecidos daquela humilhação.

Neymar não deu show na Copa do Mundo, mas foi mais do que eficiente. Dos 11 gols marcados pela Seleção Brasileira, quatro foram do jovem atacante. Pode parecer pouco, mas é um número mais do que expressivo para quem está disputando o seu primeiro mundial e não tem como principal função empurrar a bola para o fundo da rede.

A pergunta feita acima jamais será respondida. Pelo menos, Neymar poderá evoluir sem carregar a responsabilidade de ter estado em campo num dia para ser esquecido.

Esqueceram de nós

Foi ontem, seleção pentacampeã mundial!

Em Belo Horizonte, vocês não jogaram pelo silêncio dos mais de 200 mil torcedores que viram, com lágrimas nos olhos, o Uruguai levantando a Jules Rimet em 1950, mas calaram outros milhões espalhados pelo país.

Não jogaram por Neymar e Thiago Silva que não puderam estar em campo ajudando vocês como fazem rotineiramente.

Esqueceram de dar alegria a um povo que anda precisando sorrir. Não, não jogaram por nós! Crianças, velhos, doentes e até por quem diz não gostar de futebol. Deram motivos para aqueles pobres de espírito que são arrogantes quando olham para o futebol e o classificam de maneira errada.

Seleção, eu perdi a vontade de me embriagar vendo o massacre acontecer.

Perderam a oportunidade de juntar num abraço comunistas, fascistas, católicos, evangélicos, ateus, judeus… Todos são iguais perante a alegria do gol que não veio. Até veio, mas da maneira errada.

Jogaram pelo prazer de sonhar. Perderam pelo fato de não jogar.

No massacre acontecido no Mineirão, somente o futebol agradeceu. O melhor – de longe – venceu.

Joguem por nós

É hoje, seleção pentacampeã mundial!

Joguem por nós, pelo silêncio dos mais de 200 mil torcedores que viram, com lágrimas nos olhos, o Uruguai levantando a Jules Rimet em 1950. Entrem em campo por Zizinho e Zico, gênios que não foram campeões do mundo.

Joguem por Neymar e Thiago Silva que não poderão estar em campo ajudando vocês como fazem rotineiramente.

Joguem para dar alegria a um povo que anda precisando sorrir. Ah, joguem por nós! Crianças, velhos, doentes e até por quem diz não gostar de futebol. Não esqueçam de jogar por aqueles pobres de espírito que são arrogantes quando olham para o futebol e o classificam de maneira errada.

Joguem para me embriagar com dribles, gols, defesas… Hino Nacional!

Joguem pelo comunista, pelo fascista, pelo católico, pelo evangélico, pelo ateu, pelo judeu… Todos são iguais perante a alegria do gol!

Joguem pelo prazer de jogar. Vençam pelo fato de sonhar. Façam com a Alemanha o que Ronaldo e cia. fizeram em 2002 porque hoje é o passo decisivo para colocar a sexta estrela no peito e dar alegria ao povo brasileiro.

#VaiterHexa

A lesão do Neymar deixou todo mundo muito triste e o suposto sacrifício que ele faria para jogar a final deu até uma animada na galera, mas não acontecerá.

Contudo, não é porque ele não pode mais jogar que o Brasil não conquistará o seu hexacampeonato mundial.

Neymar é craque, gênio, o cara que faz a diferença, que chama a responsabilidade, que faz gols e etc, mas agora chegou a hora do futebol coletivo aparecer.

Com ele em campo era bola no Neymar que ele resolve e acabou.

Chega disso!

Se o moleque do futebol alegre não pode jogar, que os outros 22 peguem na bola e façam o jogo andar. Já passou da hora de Oscar, Hulk e Fred – citei os três porque são titulares – baterem no peito e chamar o jogo.

Quer momento melhor para se protagonista do que na fase final de uma Copa do Mundo?

A mudança de atitude já foi gigantesca diante da Colômbia. Agora falta marra. Falta mostrar que o brasileiro é foda e vai ganhar esse campeonato em casa.

A torcida ainda acredita – e muito – no hexa e eu aposto no Fred.

Diante do Flamengo, o atacante tricolor costuma marcar. Já que a Alemanha vai jogar de preto e vermelho, vai que… !

Vai Flamengo… Ops, Alemanha

Esse não é nenhum daqueles textos analíticos que afirmam com ou sem razão se tal campanha publicitária deu certo ou não, mas é uma ideia geral que vai dar certo se for posta em prática.

Ficou confuso?

Alemanha enfrenta a França, às 13h, no Maracanã, nesta sexta-feira, pelas quartas da Copa do Mundo.

Ok, isso não é novidade para ninguém. Calma…

O brasileiro amante do futebol já não tem tanta simpatia pela França, afinal a rapaziada famosa por não tomar banho costuma atrapalhar nossos planos em Copas do Mundo.

Imagina se a Alemanha, que joga no Rio de Janeiro, entra em campo com o uniforme rubro-negro.

Cara, seria histórico!

A massa flamenguista apoiaria os alemães de maneira inimaginável. O ego rubro-negro é tão grande que fariam da Alemanha a sua nação ao pé da letra.

Se a campanha da Adidas com a camisa rubro-negra da Alemanha não estiver dando certo, não existe melhor momento para virar o jogo do que nesta sexta-feira.

Fica a dica.

A grama do vizinho…

… Não é mais verde do que a nossa!

Eu não queria falar sobre isso. Acho um assunto tão saturado e chato, que é capaz de te dar sono enquanto você lê este texto.

É verdade que o Brasil não deu um espetáculo para nós e tem vencido “apertado” os seus adversários na Copa do Mundo. Porém esse problema não se reserva apenas a Seleção Brasileira.

Toda hora eu escuto coisas do tipo “Quando pegar a Alemanha eu quero ver”, “Iiih, final contra a Argentina ou Holanda vai ser triste”… Triste por que?

Alemanha e Holanda deram UM show durante a Copa e depois só pedreira.

Alemães venceram nos últimos minutos da prorrogação a Argélia, enquanto Holandeses suaram demais contra o México. O que dizer da Argentina? Nossos “Hermanos” chegaram nas quartas com um gol no último lance diante da Suíça.

Estão com medo de que? De quem?

Historicamente ninguém ali é maior que o Brasil. Nenhum desses países entende tanto de Copa do Mundo como nós. Eles estão no nosso país, com a nossa torcida, nas nossas casas. Eles que tem algo a temer. Eles que sentem calafrios quando escutam o estádio inteiro cantando.

Perca esse espírito ridículo de submissão só porque nasceu no Brasil.

Eles só são melhores do que nós em uma coisa: Lá fora não existe esse “viralatismo” daqui.